Vamos falar sobre Pornografia?

0
556

Pornografia! Talvez você nunca tenha parado para pensar sobre isso, ou até mesmo se recuse a acreditar, mas a verdade é que a maior parte do seu círculo social teve ou terá contato com algum conteúdo pornô em pelo menos um momento da vida. Seja através de um dos famosos filmes do Brasileirinhas, um rápido vídeo do popular Xvídeos ou até um arquivo enviado de forma inconveniente por Whatsapp.

Por que você não deveria levar a pornografia a sério?

Embora ainda exista um forte tabu social, a indústria pornográfica movimenta quantias exorbitantes de dinheiro todos os anos e continua recebendo com frequência novos atores, atrizes e, principalmente, consumidores. A validade ou falta de pudor desse tipo de filmagem é uma concepção completamente pessoal, mas o ponto que precisa ser realmente aceito é que a forma de se fazer pornô é algo questionável.

Pornô

Vivemos em uma sociedade que, por muitas vezes, ainda se recusa a falar de sexo. O não diálogo tem como consequência óbvia a busca, por vezes muito precoce, pela pornografia.

Por vergonha, curiosidade, forma de responder a dúvidas pessoais ou simplesmente desejo, cerca de 22 milhões de brasileiros acessam tal conteúdo por ano, segundo pesquisa de 2018 do canal Sexy Hot. Agora imagine que cada um desses indivíduos confunda sexo pornográfico com sexo real? E que estes cresçam tentando reproduzi-lo? Temos um problema.

O post de hoje tem como objetivo debater alguns dos principais mitos sustentados pela pornografia. E, além disso, lembrar você de que o pornô, assim como sua série preferida, é só uma forma de entretenimento. Nada além disso.

Sobre Pornografia

Posições

Muitos dos movimentos exigidos no sexo não conseguem ser capturados pelas câmeras. Por conta disso, para que o espectador visualize com clareza o que está acontecendo, certas posições e intensidades variadas são solicitadas pelos diretores. Utilizam-se ângulos e closes específicos durante as gravações para que o ato se torne um verdadeiro espetáculo visual. Mas é necessário pontuar que nem toda posição é necessariamente prazerosa. Ser mais agressivo ou rápido em determinado momento tem uma probabilidade muito maior de ser desagradável do que excitante.

Preliminares e cuidados

Sexo realmente bom pede preliminares, algo muitas vezes rápido ou até mesmo inexistente na pornografia. O conteúdo, quase de forma homogênea, retrata penetração como o auge de uma transa, mas sabemos que na vida real beijos, toque, oral, masturbação e brincadeiras entre um casal são necessários. Além disso, cuidados são exigidos em determinadas práticas. Sexo anal, por exemplo, exige lavagens, lubrificação, dilatação e conforto!

Corpos

Homens e mulheres são representados sem nenhuma diversidade dentro da indústria pornô. Não somente os formatos e cores de seus corpos são padronizados, como também seus órgãos genitais. Mas na vida real clitóris, lábios e pênis variam de tamanho e tonalidade, e isso pouco diz sobre como será o sexo.

Desempenho

Muitos dos atores nos filmes pornôs utilizam do famoso “azulzinho” para apresentar um desempenho sexual cinematográfico, assim como diversas atrizes gritam escandalosamente para demonstrar prazer. Os truques utilizados nas filmagens são diversos, e vão desde urinar no sexo para fingir gozar até utilizar pasta de dente para que a ejaculação pareça mais densa. É necessário lembrar que não se pode esperar que as reações do corpo de sua parceira sejam iguais às vistas no pornô, que tem como intuito entreter. Exageros não significam que seu desempenho no sexo foi bom. Assim como a duração do ato. Não espere que duas horas sejam a média de tempo de uma transa. Comparações irreais só vão atrapalhar o prazer de um casal.

Pornô

Olhar feminino e prazer a dois

Dos 22 milhões de brasileiros que consomem pornografia, segundo a Sexy Hot, como mencionado no início do post, 76% são homens. Eles não são a maior parte do público por acaso. Pornorgrafia é totalmente pensada para o público masculino. Tal fato, atrelado, a falta de mulheres diretoras nesse mercado e ao machismo estrutural social, consequentemente resulta em um mercado dominado pelos homens. A visão da mulher é pouquíssimo representada e a impressão que fica é a de que o sexo gira em torno do prazer do homem, mas não é assim que funciona na vida real. Prazer, na verdade, é a dois, e não acaba depois da ejaculação masculina. Tornar o momento realmente prazeroso para sua parceira é um dos fatores definitivos em um bom sexo.

A principal diferença entre esses dois, sexo real e pornografia, é óbvia. Mesmo que muitos ainda se esqueçam: o sexo real é bem mais excitante. Sem ensaios, regravações, truques e fingimentos. Quem gostaria de seguir sempre um mesmo script pré-determinado e mecânico? Não que a pornografia seja totalmente dispensável, já que pode até ajudar casais a entrarem no clima ou aliviar um dia estressante. Mas ela não serve como parâmetro, e sim como diversão. E nós sabemos, a vida real pode ser bem mais interessante.

Por isso, não se esqueça de visitar o SPLOVE para encontrar mulheres acompanhantes reais que te proporcionará uma noite inesquecível e sem roteiros.

Gostou do post? Você pode encontrar mais textos de Lorena clicando aqui.